Afinal, o que é saudável?

Vamos falar sobre esse tema ao mesmo tempo tão simples e tão complicado

Mas afinal, o que é saudável?


Atualmente com tanta informação disponível na internet e mídias sociais, que ao invés de ajudar faz com que as pessoas fiquem mais e mais confusas em relação à alimentação. Hora é água com limão, outra é jejum intermitente, leite é vilão e por ai vai...


Esses tipos de notícias chamam muita atenção e se espalham rapidamente tomando grandes proporções, entretanto essas “opiniões” geralmente são baseadas em achismos. Quando a informação vem de um veículo de comunicação, citando artigos científicos, acabam enviesando e muitas vezes até alterando o resultado para que a notícia fique mais chamativa.


Nessa mesma linha, sabemos que as notícias falsas se propagam muito mais rápido que as verdadeiras, foi o que demonstrou o estudo "Mentiras se espalham mais rápido que a verdade", publicado pela revista Science.


“Quando analisamos a dinâmica de difusão de rumores verdadeiros e falsos, descobrimos que as notícias falsas se difundiam significativamente mais longe, mais rápido, mais profundo e mais amplamente do que a verdade em todas as categorias de informações”.


Ou seja, cuidado com tudo o que lê. Questione sempre! Procure fontes, perfis e profissionais confiáveis.

Então o que eu devo comer?


Não existe uma resposta única e pronta para todos. Afinal temos nossas individualidades, enfermidades, preferências alimentares, aversões, rotinas, fatores emocionais, são inúmeros os fatores... cada indivíduo tem suas necessidades especificas.


As necessidade de um vegetariano, um diabético, um ciclista profissional, um desnutrido, um obeso, um celíaco, um intolerante à lactose, outro com cirurgia bariátrica, serão completamente diferentes.


É sabido que se alimentar de forma saudável é consumir primordialmente alimentos de origem in natura, minimamente processados e apenas processados, ou seja, frutas, legumes, verduras, grãos e cereais, leguminosas, tubérculos, ovos, laticínios, sementes, carnes variadas, óleos e suas formulações entre si. Por exemplo, nosso querido Arroz com Feijão!


Variedade alimentar é importante!

Um exemplo, se você costuma comer mais feijão, tente um dia ou outro na semana variar para lentilha/grão de bico. O mais é difícil incluir novos hábitos na nossa rotina, não queira fazer tudo de uma vez, crie pequenas metas e que você consiga se planejar para isso


Devemos evitar aqueles chamados de ultra-processados, os quais não tem como fonte base nenhum alimento, eles têm como formulações: gorduras (geralmente hidrogenadas), amido, açúcares como o xarope de milho, sódio, proteínas extraídas, e muuuitos aditivos (corantes, texturizantes, aromatizantes, conservantes).


Esses aditivos tornam esses "alimentos" hiper-palatáveis para que sejam apreciados pelos consumidores. Contêm alta densidade calórica e não são nada nutritivos. Seu consumo excessivo está associado à obesidade e doenças crônicas como diabetes, hipertensão, colesterol alto, gordura no fígado etc.

--> Assista o vídeo do Prof. Carlos Monteiro (FSP-USP) explicando a classificação dos alimentos. É rapidinho e vale a pena!


Descasque mais, desembale menos.

Bom, mas ninguém aqui está dizendo que não podemos apreciar um doce, sorvete, chocolate, um hambúrguer! Apenas para se atentar tanto para a matéria prima dos alimentos que você está consumindo, e saber de fato você está comendo.


É um brigadeiro feito com leite condensado e cacau? Um bolo feito em casa? Ou é um ultra-processado a base das formulações citadas acima?

Vamos criar um novo hábito? O que acha de começar a ler o rótulo dos alimentos?! Farei um post só sobre esse assunto.


Alimentar-se de forma saudável é consumir primordialmente alimentos de origem in natura, minimamente processados e processados. Evitar ultraprocessados.

Além de saber o quê comer, as questões comportamentais também exercem influencia na forma de comer. Por exemplo, comer por tristeza, por ansiedade, por ociosidade...


Fatores como quando comer e como comer também são tão importantes quanto o que comer. Conseguir reconhecer e distinguir os sinais do nosso corpo como fome, saciedade e vontade de comer que precisam ser respeitados. Comer normal. Comer sem culpa. Esse também será assunto de um post!


Tão importante quanto o quê comer, é ter boa relação com a comida.

A definição de saudável pela Organização Mundial da Saúde (OMS) é:

“Um estado de completo bem-estar físico, mental e social e não somente ausência de afecções e enfermidades”.


Ser saudável não é apenas alimentar-se saudavelmente, mas também praticar atividades físicas com regularidade, ter boas relações interpessoais, não fumar, não fazer uso de medicamentos sem necessidade... Ser Saudável é um Estilo de Vida.


É tudo uma questão de equilíbrio. Vamos encontrar o seu?



Referências

· Guia alimentar para a população brasileira

· Classificação NOVA dos alimentos

· Lies Spread faster than the truth. Science Magazine

MAPA DO SITE

CONTATO

REDES SOCIAIS

  • Black Instagram Icon
  • Black Pinterest Icon
  • Black Facebook Icon
  • Black Twitter Icon

© 2020 Débora Cioffi Nutricionista CRN3: 62918